“Já que não tem mar, vamos pro bar!” Certo? Bom, para muitos já existe um “Mar de Minas”. Divulgado como tal, Capitólio MG realmente é lindo. Porém, toda essa beleza esconde muitos problemas. Apesar de gostarmos da cidade de Capitólio temos vários motivos para não voltarmos no momento. Entenda nesse post os 5 motivos pelos quais não voltaríamos a Capitólio.

1. Turismo predatório

Já pararam para pensar que a cidade de Capitólio possui uma área ambiental imensa? São várias cachoeiras, paredões de rocha e piscinas naturais. Sem contar o Lago de Furnas, Escarpas do Lago que tem a maior marina em água doce da América Latina, e os belíssimos cânions. Ambientes com muita natureza e nascentes de águas precisam de muito cuidado. Existe um turismo consciente que visa preservar ao máximo o meio ambiente: o ecoturismo.

Já em Capitólio não vimos nenhum local cuidando para que seu espaço não seja destruído ou que sofra menos impacto ambiental. Por exemplo, cobram uma taxa de entrada mas não limitam a quantidade de pessoas. Isso seria o mínimo a se considerar para a preservação de um local. Sendo assim, cachoeiras em propriedades privadas chegam a receber 500 à 1000 turistas em um único dia na alta temporada.

Além de receber muitas pessoas por dia, a maioria dos espaços não estão com infraestrutura adequada, como: sinalização de trilhas, suporte nos trechos mais críticos (por exemplo para não escorregar nas rochas das cachoeiras), banheiros, condutores, etc.

Seria necessário trabalhar com mais consciência para preservar tais áreas naturais para que estejam disponíveis por muito mais tempo para a apreciação de todos. Essa é a grande diferença entre ecoturismo e turismo predatório.

2. Preços abusivos

Nada ou pouco é feito para a preservação ambiental dos locais de visitação e taxas abusivas de entrada são cobradas. Essas taxas podem variar de R$ 15,00 à R$ 45,00 por pessoa nas cachoeiras mais badaladas. Com esse valor muito poderia ser feito em melhorias na infraestrutura mas não foi o que notamos. Além disso são poucos funcionários nos locais e a maioria são monitores para verificar se você pagou a taxa de entrada e se não está passando dos limites daquela propriedade. Não entendeu? Leia em breve: “Pé da Serra, o verdadeiro Paraíso Perdido”. Agora imagina cada cantinho que você for visitar em Capitólio ter que pagar em média R$ 40,00? Já saiu do seu orçamento só de pensar, né? Paga “caro” para não ter um retorno positivo e uma experiencia bem estruturada.

Como em qualquer lugar muito turístico, entendemos que os preços podem ser mais altos. Mas no caso de Capitólio além dos passeios e taxas de visitação serem altas os restaurantes também cobram valores abusivos. Nesse ponto não presenciamos muito pois optamos por cozinhar no camping, justamente por que os preços em restaurantes estavam impraticáveis. Por exemplo, em um restaurante bem conhecido um peixe comum empanado para duas pessoas é em média R$ 130,00. Percebemos que os maiores restaurantes recebem excursões e fomos verificar. São ônibus e mais ônibus de dois andares chegando com muitos turistas a todo tempo. Supostamente excursões deveriam pagar uma taxa de turismo por pessoa mas fechando um pacote com os restaurantes são isentos. Ou seja: super lotação mais uma vez sem planejamento estrutural, comida cara e muitos relatos de ser ruim ou “nada demais”.

Passeio de Lancha do Lago de Furnas em Capitólio
Lago de Furnas lotado de passeios de lanchas – Foto cortesia de Luiz Gama, Desbravando Rio

Outros destinos em Minas Gerais? Leia também

3. Individualismo dos operadores turísticos

Também notamos que não há companheirismo entre os operadores turísticos em Capitólio. O que parece é que os lucros e bem estar pessoal são mais importantes do que estruturar um turismo receptivo em conjunto. Poucos pensam em se unir. Por que isso pode ser ruim para uma área turística? Porque não se unem em prol da geração de economia sustentável para região.

Do que Capitólio está vivendo no momento? Do turismo. O que as pessoas querem ver em Capitólio MG? Cachoeiras, cânions, piscinas naturais, Escarpas do Lago, etc. Se explorarmos esses lugares sem consciência ambiental o que irá acontecer? O maior ganha pão da cidade de Capitólio irá acabar para todos. Se os operadores turísticos não se unirem nessa luta para manter o patrimônio natural haverá perdas. Individualismo não ajudará a manter Capitólio em pé.

Isso volta um pouco ao turismo predatório onde muito se ganha, financeiramente falando, e pouco é devolvido em melhorias para a estrutura do local e/ou preservação do meio ambiente. Por exemplo, lembra que mencionei da taxa de turismo que as pousadas em Capitólio ou excursões cobram dos turistas? Então, esse dinheiro não está sendo investido para que Capitólio possa continuar recebendo os turistas com uma infraestrutura mais adequada e girar a economia interna com mais eficiência e degradar o menos possível o patrimônio natural. Quando perguntamos, ninguém soube responder para onde esse dinheiro está indo.

O que nos leva ao próximo tópico.

4. Infraestrutura não comporta o boom turistico

É evidente que o fluxo de turistas aumentou em Capitólio nos últimos anos. Para dar uma ideia, nos finais de semana a cidadezinha que habita em média 8.000 moradores chega a receber aproximadamente 40.000 pessoas. Sem contar que a estrutura turística, como: hotéis, campings, pousadas em Capitólio, passeios, etc, não comportam tal demanda. É comum que os turistas se hospedem em cidades vizinhas para visitar Capitólio. Lembrando também que não há caixas eletrônicos em Capitólio e muitos comércios não aceitam cartões (ou quando aceitam não têm sinal para passar o cartão).

Imagina o impacto ambiental que 40 mil pessoas causam? Vou relatar duas passagens para fins de compreensão na parte ambiental. Conhecemos Capitólio em um final de semana prolongado e ao chegar no Mirante dos Cânions fizemos uma filmagem. Quando assistimos o vídeo notamos lixo no chão. É terrível, mas acho que estamos tão acostumados a ver lixo que infelizmente passou despercebido. Se o lixo que 40 mil pessoas produzem não for descartado de maneira correta ficará por lá causando danos à natureza.

Outro exemplo, que prova que o turismo em Capitólio está explorando a área sem consciência, é o passeio na Pedreira Lagoa Azul. A água era cristalina e azul. Hoje em dia está verde escura devido a poluição gerada pelos passeios 4×4 (alguns como parte da atração entram muito no lago) e aos banhos dos turistas em geral. Afinal, é um poço de água parada. Toda a sujeira que entra, fica por lá.

Pedreira Lagoa Azul em Capitólio
Pedreira Lagoa Azul
Pedreira Lagoa Azul em Capitólio antes e depois
Pedreira Lago Azul antes e depois, fonte: Folha do Amanhã

Esses são dois exemplos que presenciamos e que foi possível notar que a falta de estrutura para receber os turistas acaba gerando impactos gravíssimos ao patrimônio natural. Confirmando mais uma vez o crescimento do turismo predatório em Capitólio.

5. Capitólio está hiperinflado pela mídia

Não acompanhamos, mas sabemos que o boom de Capitólio começou quando o cantor Eduardo Costa divulgou “espontaneamente” nas redes sociais e em programas de televisão as regiões de Escarpas do Lago, Furnas e Capitólio. Influenciadores digitais também aproveitaram o embalo para conhecer e divulgar a cidade. Capitólio então ficou em evidência e o turismo em alta demanda. De repente todos quiseram conhecer o tão famoso Mar de Minas, até nós mesmo.

Mirante dos Cânions em Capitólio
Mirante dos Cânions em Capitólio

Desde então Capitólio está em alta. Mas a hiperinflação da mídia desta vez está causando mais impactos negativos do que positivos. Muitos turistas e pouca estrutura podem causar danos irreversíveis ao local. Ou seja, se Capitólio continuar recebendo essa quantidade desenfreada de turistas sem ajuda dos órgãos responsáveis e consciência ambiental, não ficaria surpresa se em um futuro próximo, Capitólio como conhecemos em 2018 esteja muito diferente.

Se mesmo assim seu próximo destino é Capitólio MG, separamos aqui algumas dicas do que fazer de graça na cidade (e municípios vizinhos)

Considerações finais

Todo nosso relato não passa de uma crítica construtiva. Não voltaríamos a Capitólio no momento, mas isso não quer dizer que não valha a pena conhecer a cidade. Como relatamos, gostamos de Capitólio MG. Realmente tem essa beleza toda que vemos em fotos. Mas gostaria que essa beleza durasse muitos e muitos anos. Para que isso aconteça alguns ajustes precisam ser realizados.

Não basta ser lindo e não ter ninguém cuidando do patrimônio natural. Não basta ser lindo e só praticar preços abusivos. Não basta ser lindo e só visar lucros e não se preocupar com o meio ambiente. Não basta ser lindo a não comportar a quantidade de turistas que recebe. Enfim, não basta ser lindo só nas telinhas dos celulares, tem que ser lindo pra sempre!

Fica a reflexão!

Planeje sua próxima aventura com a gente!

Quando você adquire, compra, reserva ou aluga através de um dos links abaixo ou nos links do texto, você está nos ajudando a manter nosso trabalho sem pagar nada a mais por isso! Nós agradecemos o seu apoio e ficamos a disposição para ajudar você a programar sua próxima aventura.

41 COMENTÁRIOS

  1. Adorei o seu post. Eu sou um dos que quer conhecer Capitólio faz um tempo e assim como vejo no Rio, fico triste quando percebo que nós, humanos estamos destruindo aquilo que dizemos admirar. Sem dúvidas esse dinheiro arrecadado precisa ser reinvestido na preservação dos atrativos bem como na melhoria da estrutura. Tem tudo pra ser um sucesso ou um desastre. Espero que façam a escolha certa.

  2. Dou uma sugestão para os ecoturistas: conheçam Ipoema. Pertinho de BH. (86 km) Tudo de bom e belezas em harmonia com o turista.

  3. Existem outras formas de conhecer Capitólio. Visitem @marpraque. Nascemos aqui, temos ranchos com hospedagem mas recebemos números restritos de pessoas. Pensamos em qualidade e preservação.

  4. Gostei muito de sua postagem ,algumas coisas concordo e outras descordo, mas porque infelizmente vc não conheceu o verdadeiro mar de Minas muito menos o que nossa região tem a oferecer , locais turísticos que crescem de uma hora pra outra existem muito disso, pessoal vai aonde todo mundo vai, como vocês mesmo disse aonde Eduardo Costa foi , procure por um guia da região, ai vc irá almoçar em restaurantes excelentes com comida a vontade por apenas 25,00 ir em cachoeiras que não são pagas, ficarem em hotéis com excentes estruturas, conhecer realmente nossa região, concordo com sua postagem, mas não é bem assim , vc fico em capítulo , hoje temos Passos_mg que está no centro de tudo que nossa região tem a oferecer com uma infra estrutura adequada para receber os turistas , procure algum guia da região que tenho certeza que irá voltar no próximo fim de semana , uma dica entre no face e procure por: canastra mais , vem pra canastra , expedições da serra , trem da canastra, compadres turismo eles irão te proporcionar uma experiência única!!! Entre em contato e bata um papo sobre o que realmente é nossa região, tenho certeza que irá voltar o mais breve possível!!!

    • Amei sua resposta, infelizmente sua imagem sobre Capitolio, parte dela icvocafa, a começar por vc mesma, se icvocou em vir e não querer pagar guia ou não se informar adequadamente para visitarmos, pois lutamos todos os dias, para educar o turista que por não fazer agir corretamente vem para Capitolio.

      • Oi, Ivone. O problema não é pagar um guia, pelo contrário, apoiamos sim guias locais e microempreendedores. No caso de Capitólio fomos à Casa do Turista para pegar algumas dicas e outras seguimos indicações dos próprios locais. Se tem muito mais de Capitólio que não conhecemos, infelizmente os próprios agentes de turismo não estão divulgando. Na próxima visita tentaremos optar por um guia local. O que não adianta é ignorar os problemas dos lugares mais frequentados que mencionei acima.

  5. Como natural de Piumhi, cidade vizinha, cresci andando por toda a região. Falo em resumo sobre as observações de vocês há anos, desde antes de haver esse boom turístico. Conheci Bonito-MS há 14 anos, e já naquela época a região dava aula de organização turística e sustentabilidade para o Brasil. Desde então sempre cutuquei alguns conterrâneos sobre tentar replicar o modelo de Bonito na região Piumhi/Serra da Canastra/Capitólio. Cheguei a criar um aplicativo em 2011, mas como não moro lá desde 1995, acabei interrompendo a iniciativa por falta de ajuda de gente que vive lá. Enfim. Fico muito triste de ver todo aquele potencial turístico ser tratado de forma tão desleixada, e, cá pra nós, burra, como fazem. Tenho esperança que isso mude, pra de vez em quando matar a saudade da minha infância naqueles lugares tão belos, e que outros também possam conhecer tudo que a região oferece. Parabéns pelo artigo!

  6. Bom moça, venho por aqui talvez te fazer alguns esclarecimentos, talvez você não tenha lido ou pesquisado sobre a história do município (não vi nenhuma referência no texto), pois bem: Capitólio tem apenas 69 anos de emancipação … ou seja é um município muito jovem, o turismo com o lago de furnas é mais jovem ainda, o que isso implica ? Vejo cidades muito mais velhas com os mesmos problemas que você cita aqui. Vale lembrar que nenhuma cidade nasce pronta pro que “definiram”, Capitólio em sua origem era uma pequena vila de agricultores e nada mais que isso, e isso não tem nem muito tempo.
    Vale ressaltar que esse “Boom” que você cita começou a pouco tempo também, e bem sabemos que as coisas nesse país não acontecem da noite pro dia, não teria como ninguém “adivinhar” que se tornaria um polo turístico em 3,4 ou 5 anos ….
    Outro ponto interessante, talvez a cidade não tenha o “tipo” de turismo que você procura, talvez uma cidade mais pacata ou com um turismo menos “intensivo”, mais voltada a atividades naturais, menos gente, menos dinheiro envolvido te faria melhor, esse infelizmente não e o caso de Capitólio, pois o turismo lá já começou com o dito “Alto padrão”, fazer o que ??
    Sobre a infraestrutura, além do “ser jovem” e “não nascer pronto”, a cidade sofre muito com investidores de outras cidades que pouco se importam em planejar alguma coisa, assim como nosso país, vem tiram dinheiro e mandam pra outro lugar. Criticar a cidade acredito ser um pouco de hipocrisia, sem nem ao menos conhece-la de verdade (isso é tipico de turistas, ja fiz isso também, não se preocupe), as ultimas administrações da cidade têm trabalhado duro para atender todos esses seus pontos, mas demora.
    Sobre os preços … conhecendo a cidade a 27 anos acredito que você foi no único restaurante caro então, pois encontraria boa comida (não só “nada demais”) por um preço acessível, seria barato ? Não acho, mas como 1/3 carioca deve saber que existem locais muito mais estruturados e próximos de centros comerciais que cobram muito mais …
    Sobre a preservação e a cobrança pela entrada eu concordo, é um tanto desrespeitoso, porém antes de cobrarem as pessoas simplesmente invadiam e já deixavam lixo … ai é uma via de mão dupla eu acredito, mais uma questão cultural que simplesmente culpa da cidade, não sabemos de onde vem nossos turistas …
    Sobre comportar todos os turistas é um tanto complicado, hoje o município tem pouco mais que 8 mil habitantes … devemos proibir mais turistas ? deveríamos ter um senso sobre quantas pessoas vão visitar a cidade nos próximos anos para que possamos investir ? Isso é demanda, a medida que procuram a cidade vai crescendo, assim ocorre no mundo todo, o que temos no município é um crescimento muito grande de procura para um curto período de tempo para crescimento. Visite daqui um ano ou dois que ja estará muito melhor, a população toda trabalha duro pela cidade, mas de novo, as coisas não acontecem da noite para o dia, á 6 anos atrás, época em que escrever opiniões na internet ainda não dava dinheiro, a cidade estava bem menos preparada, você se admiraria o quanto cresceu em tão pouco tempo …
    Enfim, espero que volte a cidade com um olhar mais maduro, e deixo uma dica para suas próximas viagens, estude a cidade onde vai, tenha conhecimento do quanto a cidade realmente poderia ter feito e o quanto fez.

    • Olá, Sr. Alexandre. Como o Sr. mesmo mencionou algumas vezes, tudo isso é novo. Por isso o alerta é tão necessário, para que não siga dessa forma e se reestruture o mais breve possível!

  7. Ridículo!!!!! Capitólio ficou conhecida por causa de Eduardo Costa ????? Tá loco !
    No mínimo vc deve ser parente ou amigo próximo.
    Capitólio não trouxe nada de bom para vcs que vieram visitar?
    Concordo plenamente que precisamos de mais estrutura sim, mas sua reportagem ficou com a balança bem desiquilibrada!
    Qual o nome de quem escreveu o texto?

    • Oi Marilia. Desculpa, mas nem sei quem Eduardo Costa é. Essa informação (que Capitólio ficou mais conhecida depois de algumas divulgações do cantor) foi passada a nós por inúmeros moradores e também averiguada em pesquisas. A balança está sim com mais pontos negativos sobre Capitólio, mas esperamos em uma próxima visita encontrar a situação em mais equilíbrio.

  8. Bom dia. Gostaria de deixar aqui minha indiguinacao quanto a esta materia. Como o companheiro Alexandre Santos que parou sua vida, seus afazeres para demonstrar sua oposição a matéria – no meu ponto de vista extremamente leviana e mal intencionada – apresentada aqui, faço o mesmo.
    Sou Capitolino, gestor de um grupo de pequenos empreendimentos voltados pra turismo na região. Vivemos um momento ímpar em nossa cidade. Momento este que veio sem nenhum planejamento. Por este motivo tudo pra nós é novo. Mas tenho certeza que, como conheço as pessoas daqui, todos estão empenhados em fazer do turismo existente ser cada dia melhor e principalmente douradouro.
    Por isso digo, visitem sim Capitolio!
    É uma cidade inúmeros atrativos e belezas muito alem das cachoeiras e lago de furnas. Procurem a cidade, as pessoas, as atrações festivas que a sociedade Capitoliona tem a oferecer. Tenho certeza que não se arrependerão.
    Bom quanto a matéria da Sra. Debora, faço aqui o mesmo exercício que ela fez. O de escrever sobre algo/alguém que não conheço a fundo, apenas superficialmente.
    Para quem se pré dispõe a trabalhar visitando lugares turísticos e posteriormente relatar sua experiências, escrever uma matéria com o título “5 motivos pelos quais não voltaríamos a Capitolio” e depois dizer que gostou da cidade, e que voltaria em outra oportunidade?!
    No meu ponto de vista demostra uma falta de credibilidade e despreparo de quem escreveu a matéria. Como confiar nestas informações sobre um lugar com tantos atrativos?!
    Sra Debora, críticas construtivas são aquelas que apontam erros com a finalidade de melhora. Como Capitolio irá melhorar seu turismo se vc aponta A seus leitores (construtivamente…) 5 motivos para não voltar/visitar a cidade?!
    Sendo assim leitores, procurem informações de maior credibilidade sobre seus destinos Turisticos e nunca se esqueçam que: nestes lugares tem pessoas que trabalham e sustentam suas famílias esperando sua visita para conhecer a cidade delas!

    • Olá, Pablo. Criticas construtivas realmente são àquelas que apontam erros, dificuldades e fraquezas com a finalidade de melhorar! Queremos a melhora de Capitólio. Nada mais! Esses são motivos pelos quais, eu, Débora (e também meu esposo, que fazemos parte do Profissão Aventura), não voltaríamos a Capitólio. Nossos leitores podem decidir por si só. O que não vale é mascarar problemas.

  9. Pra começar a pedreira lagoa azul
    Muda de cor dependendo o sol e a chuva,,
    Essa imagem dela turva é devido as chuvas
    E existem cachoeiras onde nao é pago,
    Sobre pé da serra nao é o paraiso perdido
    Ele é mais pra sima..
    Trilha do sol eu por morar em capitolio pagaria tranquilo…
    Pois a infra estrutura e segurança é muito boa
    E muito bonito..
    Entao acho que vc nao conheceu direito nossa codade..

    • Oi, Wilhas! Fomos à Pedreira Lagoa Azul em um dia de muito sol e posso te garantir que a cor da água não muda com “sol e chuva”. Basta olhar fotos recentes (verde, turvo) e comparar com as de 2 ou 3 anos atrás (azul e cristalina). Sim, existe cachoeiras que não são pagas e vamos falar sobre elas em breve. Sobre a trilha do sol pesquisamos e falamos com locais e realmente essa já está fazendo algo para melhorar (fecha um dia da semana para limpeza, trilha está melhor estruturada, etc). Espero que em um futuro próximo a situação se ajeite, pois Capitólio merece.

      • Realmente o que vc disse é verdade, a cor da água já não é mais a mesma, inclusive, ela já foi constatada como imprópria para banho devido a contaminação, mas vc tbm citou nesse seu artigo, no qual eu tenho convicta certeza de que vc deveria pesquisar um pouco mais sobre o local, de que isso ocorreu devido a GRANDE FALTA DE EDUCAÇÃO DOS TURISTAS QUE VISITAM A NOSSA REGIÃO E ALI DEIXAM RESTOS DE LIXO TANTO NAS ENCOSTAS QUANTO NAS ÁGUAS, AFINAL AQUELAS ÁGUAS NÃO SÃO PARA LAVAR RESTOS DE CHURRASCOS E AFINS… SÃO POR CAUSA DE PESSOAS DESINFORMADAS E IGNORANTES DE INFORMAÇÃO COMO VC QUE A CIDADE TEM SE TORNADO UM CAOS NO TURISMO… ESCREVA UM ARTIGO EDUCANDO AOS SEUS LEITORES QUANTO A VISITAÇÃO NÃO SÓ AQUI NA CIDADE, MAS POR ONDE ELES PASSAREM.. NÃO SOU NATURAL DAQUI, SOU DE BH, MAS SEI BEM DO QUE ESTOU FALANDO POIS VIVO ESSA REALIDADE, DIFERENTE DE VC QUE VEIO APENAS POR UM PERÍODO E QUE SAIU POR AI DIZENDO O QUE NÃO TEM CONHECIMENTO PROFUNDO SOBRE TAL SITUAÇÃO… ACREDITO SIM QUE TEM MUITO O QUE SER MELHORADO, MAS NADA ACONTECE DA NOITE PARA O DIA… AO INVÉS DE FAZER UM ARTIGO DESNECESSÁRIO COMO ESSE, PQ NÃO FEZ DISSO UMA PALTA E ENVIOU DIRETO AOS RESPONSÁVEIS PARA QUE ELES TOMEM AS PROVIDÊNCIAS… O MUNICÍPIO E TODA A REGIÃO ESTÁ ABERTA A CRÍTICAS CONSTRUTIVAS, POIS ESTAMOS AQUI PARA MELHORAR SEMPRE NO ATENDIMENTO AO NOSSO TURISTA…

        • Olá Iara, para simplificar coloquei no post especificamente na parte sobre a Pedreira Lagoa Azul essa frase: “toda sujeira que entra fica por lá”. Toda sujeira, ou seja: resto de lixo, resíduos de churrascos, etc. É óbvio que também falta educação do turistas, mas o município também precisa tomar providencias, afinal, estão recebendo bem para ter uma estrutura melhor. Nesse post apenas relatamos os motivos pelos quais não voltaríamos a Capitólio. Escreveremos outro post no futuro sobre conscientização turística.

  10. Sou nascido e moro em Capitólio, e por mais que muitos digam o contrário muito do que foi colocado é verdade. Hoje estamos vivendo com um descaso sem precedentes quanto as nossas belezas naturais. Muito do que foi colocado pelos comentários anteriores também são verdade, como, o boom do turismo ter começado a pouco tempo.
    Mas a mais de anos a própria população vem alertando sobre os riscos desse turismo predatório. O órgão publico cria taxa de turismo para ser paga porém não existe um projeto de aplicação dessa taxa, um projeto de conscientização da população e dos turistas.
    A pedreira não muda de acordo com chuvas e sol, há muito tempo ela esta verde de lodo! O mirante dos canyons perde dia a dia sua vegetação nativa (sem contar os incêndios).
    Infelizmente a verdade doi, e mexer no ganha pão atual da nossa cidade dói… mas enquanto nós mesmos não olharmos com olhar crítico para nossos problemas vamos acabar aos poucos com nosso ganha pão.

    • Oi, João, obrigada por seu comentário! O que muitos não conseguem ver é que a crítica às vezes dói, mas é necessária para melhorias. Por receber um grande número de turistas muitos devem pensar “a coisa tá boa! não para de chegar gente!” mas quem parar um pouquinho para analisar a situação de Capitólio irá perceber que a cidade está correndo risco de perder as belezas naturais.

  11. Eu como capitolina concordo plenamente com tudo que você disse, a grande maioria da população visa apenas seu lucro próprio, não pensa na poluição desenfreada que turistas causam nas cachoeiras e demais pontos turísticos. A cidade não tem infraestrutura para comportar tanta gente e ninguém faz nada a respeito, fico triste com tudo isso que vem acontecendo, pois de fato o turismo é gerador de muitas rendas da cidade. Espero que alguém faça algo para melhorar esta situação, pois como você mesma disse daqui alguns anos isso tudo pode mudar.

  12. Ótimo post! É necessário que o brasileiro mude a mentalidade e pense mais em turismo sustentável. Vivenciei uma situação semelhante na famosa praia Maya Bay, na Tailândia. Uma tristeza só!! Lixo espalhado pela praia, os corais totalmente destruídos porque os barqueiros jogam a âncora em qualquer lugar. É muito triste ver paraísos como esses serem destruídos pela exploração desenfreada e não planejada!!

    • Oi Milena. Eu sou de Passos e frequento o lago de furnas e as cachoeiras da região desde a minha infância, na minha última visita a capítulo em janeiro desse ano fiquei chocada com o que fizeram com a região. E fiz a mesma relação com Maya Bay (que visitei em 2014), o excesso de lanchas e turistas detonam o lugar paradisíaca. É uma lástima.

      Eu frequento a região há mais de 20 anos e concordo em gênero, número e grau com a autora do post.

  13. Ótimo post! É necessário que o brasileiro mude a mentalidade e pense mais em turismo sustentável. Vivenciei uma situação semelhante na famosa praia Maya Bay, na Tailândia. Uma tristeza só!! Lixo espalhado pela praia, os corais totalmente destruídos porque os barqueiros jogam a âncora em qualquer lugar. É muito triste ver paraísos como esses serem destruídos pela exploração desenfreada e não planejada!!

  14. Com a chave na mão
    quer abrir a porta,
    não existe porta;
    quer morrer no mar,
    mas o mar secou;
    quer ir para Capitólio,
    Capitólio não há mais.
    José, e agora?

    (Adaptado de Carlos Drummond)

  15. Só pra ressaltar um ponto a pedreira e os cânions é quase todas as cachoeiras estão no município de São João Batista do Glória e n são propriedade de Capitólio por tanto o famoso turismo de Capitólio está destruindo n o que é da cidade deles e sim da cidade vizinha

  16. Realmente falta consciência no ser humano.
    Destruindo e poluindo o nosso bem mais precioso que
    é a natureza. Só Deus na causa…..

DEIXE UMA RESPOSTA

Escreva seu comentário aqui
Seu nome aqui

* Checkbox GDPR is required / Regulamento Geral de Proteção de Dados do Usuário

*

Eu aceito/ I agree